Visite a Place de la Concorde, a maior praça de Paris

A Place de la Concorde é uma famosa praça situada no 8º arrondissement de Paris. Conhecida como a maior praça de Paris, é também uma das cinco praças reais da capital. Esta esplanada, que se tornou uma grande atracção turística em França, também mudou de nome várias vezes ao longo da história. Situada ao pé dos Campos Elísios, é contígua aos Jardins das Tulherias e a sua imponente superfície cobre mais de 7 hectares. Construída a pedido do rei Luís XV em estilo neo-clássico, a Praça da Concórdia tem no seu centro um obelisco egípcio de Luxor com 3300 anos. Neste artigo, abordaremos a história desta praça emblemática de Paris, a sua evolução e os elementos arquitectónicos que a compõem.

As origens da Praça da Concórdia

No século XVIII, o local albergava uma esplanada, rodeada a meio por um fosso, com dois grandes esgotos a céu aberto em cada extremidade do terreno. Em 1748, foi projectada para a esplanada uma estátua equestre do rei Luís XV, para celebrar o seu regresso de Metz e criar uma praça real. Nada menos que 19 arquitectos foram chamados para determinar a melhor localização para a estátua. Ange-Jacques Gabriel, o arquitecto do rei, propôs uma esplanada simples de terra no final dos jardins das Tulherias, que se chamaria “esplanade du pont tournant”, em referência a uma ponte de madeira próxima. Outras praças reais surgirão na capital, em zonas ainda não urbanizadas. Em 1753, foi organizado um concurso para a concepção da praça Luís XV, supervisionado pelo primeiro arquitecto do rei, Ange-Jacques Gabriel. Apoiado por Madame de Pompadour, Gabriel supervisionou todo o projecto, que foi aprovado em 1755. Finalmente, a estátua equestre de Luís XV foi inaugurada a 20 de Junho de 1763 e colocada no centro da esplanada, em linha com o jardim das Tulherias e os Campos Elísios. A parte norte da praça foi concluída em 1772. Outras praças reais foram criadas na capital:

  • Praça Vendôme (1º distrito)
  • Praça des Victoires (1.º e 2.º distrito)
  • Praça Dauphine (1.º distrito)
  • Praça dos Vosges (3.º e 4.º distrito)
O obelisco da Concórdia foi doado pelo vice-rei do Egipto em 1831
O obelisco da Concórdia foi doado pelo vice-rei do Egipto em 1831

A sua evolução durante a Revolução Francesa

Durante a Revolução Francesa, a antiga Praça da Concórdia tornou-se um local obrigatório para qualquer comboio que circulasse na capital e também um importante ponto de encontro. Em 6 de Outubro de 1789, Luís XVI e Maria Antonieta foram trazidos pelo povo de Versalhes para Paris, atravessando a Praça Luís XV, local da sua futura execução. Em 11 de Agosto de 1792, a estátua equestre de Luís XV foi derrubada para ser enviada para fundição. Nesta ocasião, a Praça Luís XV passa a chamar-se “Praça da Revolução”. Uma estátua da liberdade, com a efígie dos bonés vermelhos, foi erigida em 1793 no lugar da de Luís XV, antes de ser retirada em Junho de 1800. A Praça da Revolução foi utilizada para guilhotinar 1119 pessoas, entre as quais Luís XVI, Danton, Maria Antonieta, Charlotte Corday, Robespierre e Philippe d’Orléans. Em 1795, os cavalos de Marly, que se encontram actualmente no Museu do Louvre, foram instalados à entrada dos Campos Elísios. No mesmo ano, a Convenção (antigo parlamento francês) mudou o nome da “Place de la Révolution” para “Place de la Concorde”.

A Praça da Concórdia no século XIX

Luís XVIII quis erigir no centro da praça um monumento à memória do seu irmão Luís XVI. Os trabalhos de construção de uma estátua do rei, enquadrada por uma capela e um salgueiro-chorão, foram iniciados por Carlos X a 3 de Maio de 1826. Nesta ocasião, a praça foi também rebaptizada “Praça Luís XVI”, mas a estátua projectada nunca foi erigida e os trabalhos foram interrompidos durante a Revolução de Julho de 1830. Mais uma vez, a esplanada mudou o seu nome para “Place de la Concorde”. Em 1831, o vice-rei do Egipto ofereceu à França dois obeliscos do templo de Luxor, mas infelizmente só um chegou à capital em Dezembro de 1833. Louis-Philippe, o último rei de França, decidiu erigir o monólito no centro da praça para não recordar os acontecimentos políticos. Entre 1836 e 1846, o arquitecto Jaques-Ignace Hittorff realizou novas obras na Praça da Concórdia. Duas fontes monumentais que celebram a navegação fluvial e marítima surgiram de cada lado do obelisco. O arquitecto acrescentou também postes de iluminação e colunas rostrais em toda a esplanada parisiense. Em 1854, as valas adjacentes à praça foram tapadas para adaptar o local ao tráfego.

Os hotéis à volta da praça parisiense

A Place de la Concorde é delimitada a norte por dois grandes edifícios de pedra idênticos, separados pela Rue Royale. As fachadas, concebidas pelo arquitecto Ange-Jacques Gabriel, foram inspiradas no Museu do Louvre. O edifício a leste é o Hôtel de la Marine. Inicialmente utilizado como armazém de móveis, passou a albergar o Ministério da Marinha em 1799. O edifício a oeste deveria ter albergado a Casa da Moeda, mas como estava demasiado afastado da zona comercial, o seu terreno foi dividido em quatro lotes e vendido a particulares. O hotel mais próximo da rue Royale continua a ser o Hôtel Coislin, situado no número 4. O Hotel Plessis-Bellière e o Hotel Cartier situam-se, respectivamente, nos números 6 e 8 da Place de la Concorde. O edifício mais emblemático é o Hôtel D’Aumont, que se tornou o prestigiado Hôtel de Crillon em 1907 e cuja grande escadaria foi preservada. A nordeste da praça, encontra-se também o Hotel Saint-Florentin, actualmente propriedade dos Estados Unidos. A embaixada americana está situada a noroeste da praça, num edifício neo-clássico construído entre 1931 e 1933.

A estátua de Rouen situada a noroeste da Place de la Concorde
A estátua de Rouen situada a noroeste da Place de la Concorde

O Obelisco de Luxor

O famoso monólito parisiense com 3300 anos foi doado pelo Egipto como agradecimento pelo trabalho de Champollion na tradução dos hieróglifos. Colocado no centro da Praça da Concórdia a pedido do Rei Louis-Philippe, tem 22,86 metros de altura e pesa 227 toneladas. No seu topo encontra-se um piramidion de bronze e folha de ouro com mais de 3,5 metros de altura. Dedicado à memória do Faraó Ramsés II, assenta numa base de 9 metros de altura e a sua fachada está decorada com hieróglifos. Está situado no eixo histórico de Paris, que se estende do Arco do Triunfo ao Arco de La Défense, passando pelos Jardins das Tulherias e pela Avenida dos Campos Elísios.

As estátuas e as fontes da Praça da Concórdia

Cada canto da famosa praça octogonal tem uma estátua que representa uma cidade francesa.

  • As estátuas de Brest e de Rouen: situam-se no canto noroeste, perto do Hôtel de Crillon. Esculpida por Jean-Pierre Cortot, a estátua de Rouen simboliza o local onde Luís XVI foi guilhotinado.
  • As estátuas de Lille e de Estrasburgo: situadas no canto nordeste da praça, a estátua de Estrasburgo terá sido inspirada em Juliette Drouet, amante de Victor Hugo e sua escultora.
  • As estátuas de Lyon e de Marselha: esculpidas por Louis Petitot, encontram-se no canto sudeste, ao lado do Museu da Orangerie.
  • As estátuas de Bordéus e de Nantes: esculpidas por Louis-Denis Caillouette, encontram-se no canto sudoeste da esplanada.

Duas fontes monumentais estão situadas de cada lado do obelisco. A Fonte dos Mares foi colocada a sul, do lado do Sena, e a Fonte dos Rios a norte, do lado da Rue Royale. Inauguradas a 1 de Maio de 1840 pelo Prefeito Rambuteau, são feitas de ferro fundido e têm cada uma quase 10 metros de altura.

Se visitar a capital, não perca uma paragem na Place de la Concorde, a maior praça de Paris e também a 7ª maior da Europa. Informações práticas, acesso aos autocarros, linhas de metro… para mais informações, visitar www.parisinfo.com.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

SPONSOR

spot_img

LATEST

O Palácio de Versalhes, o maior castelo do mundo

O Palácio de Versalhes é um verdadeiro símbolo da grandeza francesa. Este magnífico palácio perto de Paris tem sido a casa de muitos reis...

Tudo sobre o castelo dos duques da Bretanha em Nantes

O Château des Ducs de Bretagne é um castelo de estilo gótico-renascentista situado no coração do bairro medieval de Nantes, no departamento de Loire-Atlantique....

Mont-Saint-Michel, um dos locais mais visitados em França

Mont-Saint-Michel é uma comuna francesa situada na foz do rio Couesnon, perto de Avranches, na região da Normandia. O seu nome deriva da ilhota...

O Museu do Louvre, o maior museu de França

O Louvre é o maior museu de arte do mundo. Localizado em Paris, alberga algumas das obras de arte mais emblemáticas da história, incluindo...

De Paris a Hollywood: actores e estrelas franceses nos EUA

A magia de Hollywood sempre foi um íman para talentos de todo o mundo. Entre eles, contam-se vários actores franceses que chegaram ao grande...